Luta de rótulos: o machista encontra o preconceituoso num bar

Devemos aceitar que alguém tenha uma opinião diferente da nossa em relação a ciganos?
Chamar fascista a alguém prova que não sabemos ser democráticos e que somos tão extremistas como eles?

Vejamos, todos temos direito a ter uma opinião estupida em relação a algo. Certo? Certo.
Todos temos direito a dizer coisas estupidas e até a votar em partidos que apoiam causas que para outro alguém podem parecer estupidas.

Em democracia gostamos de ouvir todas as opiniões para que no fim se tome a decisão mais sensata e equilibrada.
Discutir opiniões estupidas é bom para que se possam desfazer com argumentos inteligentes.

Agora topem a diferença:
– Eu nunca vou ao médico. Julgo que se devia acabar com os hospitais públicos, cada um paga a sua saúde e pronto!
É uma opinião deveras estupida! Mas se alguém a tem é bom que fale dela para que se destrua com uma boa argumentação.

Agora topem esta segunda “opinião”:
– Julgo que se devia acabar com a subsidiodependência dos ciganos, deviam ir trabalhar e pagar impostos como todos os portugueses.

É uma opinião estupida?
Não sei nem importa, qualquer discussão que tenha por base preconceitos e estereótipos, etnicismo, racismo, misoginia, transfobia, homofobia, ou outra palermice qualquer.

Opiniões que tenham alvos com base em grupos de pessoas que só as ofende e discrimina, palavras que ferem a honra e a dignidade das pessoas, que atacam as suas famílias e vizinhos, não precisam ser discutidas, mesmo que sendo estupidas.

Vá, e agora vão todos para a vossa terra que deviam era estar em confinamento.

Devemos aceitar que alguém tenha uma opinião diferente em relação a ciganos?